Memorial do Consumo

Não é apenas sobre o funk ostentação: narrativas midiáticas e experiências do sensível em cotidianos de vulnerabilidade

Neste artigo, Rose de Melo Rocha, Simone Pereira e Aline Resende analisam o impacto da cultura do Funk Ostentação no cotidiano de pessoas em situação de vulnerabilidade social.

 


 

Resumo:

Para abordar a relação entre experiência e cotidiano, o artigo analisa modos de narrar e de consumir cultura midiática, refletindo sobre as ambivalências e polissemias das narrativas do entretenimento. As autoras entendem que elas se completam e se efetivam no cotidiano, e implicam em práticas de olhar e de escuta que se realizam mediante dinâmicas performativas. As experiências do sensível e as táticas do cotidiano são, assim, aspectos centrais à compreensão de um fenômeno complexo e paradoxal, o funk ostentação. Esta expressão cultural da periferia é utilizada como observatório de fluxos e possíveis táticas de enfrenta- mento sensível de vivências cotidianas, de vulnerabilidade, precariedade e limiaridade.

Palavras-Chave: Experiência sensível; cotidiano; narrativas midiáticas.


Este artigo foi publicado originalmente na revista Logos v. 22, n. 2 (2015) da Uerj.

Acesse o artigo na íntegra:
PDF.

SOBRE O AUTOR