Memorial do Consumo

Egisto: “consumir é, de alguma forma, realizar sonhos”

Paranoid - Egisto Betti 2Egisto Betti, sócio e produtor executivo da Paranoid, atuou em produtoras como O2 Filmes, Film Planet e Cia Ilustrada, além de ter atuado por 10 anos como produtor de RTV na AlmapBBDO. Aqui, ele fala da sua experiência de mais de 25 anos no mercado publicitário e sobre como o consumo realiza sonhos. Confira!

Memorial do Consumo: Quando você começou a se interessar por propaganda?
Egisto Betti: Desde a pré-adolescência. Como tenho 54 anos, a TV aberta foi a minha porta para o mundo. Assisti muita TV e a propaganda esteve sempre presente. Acho que o interesse nasceu de ver a boa propaganda dos vários profissionais brilhantes que o Brasil teve, tem e terá sempre. Somos, por genética e necessidade, um povo criativo.

Memorial do Consumo: Qual a sua memória sobre publicidade e consumo na infância? E atualmente?
Egisto: Me lembro muito de alguns clássicos como DDDrim, Pernambucanas, Café Pelé, Valisere, Volkswagen e US Top, entre outros. Atualmente, com a internet, além dos bons filmes feitos no Brasil, tenho a oportunidade de ver quase em tempo real todos os grandes filmes feitos lá fora. Então é muita coisa boa que acaba me influenciando de alguma forma.

Memorial do Consumo: Suas práticas de consumo ao longo da sua vida influenciam no seu trabalho?
Egisto: Acho que sim. Trabalhar com propaganda sem ser um pouco consumista é difícil. Minha rotina é respirar publicidade, então obviamente sou influenciado e impactado por ela também.

Memorial do Consumo: Como você se vê influenciando o consumo de uma família?
Egisto: Hoje, como produtor e executor de ideias que partem das agências, é claro que me sinto responsável também sobre que tipo de mensagem estamos passando ao consumidor. Hoje, as marcas sabem que lidam com um consumidor muito bem informado e crítico. Por isso honestidade, transparência e respeito têm de fazer parte da boa propaganda, além é claro da sedução, de pertinência e de um pouco de mágica.

Memorial do Consumo: O que o consumo representa para você?
Uma parcela, que deve ter o tamanho exato, do conceito de felicidade. Consumir é, de alguma forma, realizar sonhos. Consumir em exagero e sem critério pode ser um pesadelo.

SOBRE O AUTOR

é jornalista e mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas do Consumo da ESPM-SP.