Memorial do Consumo

“Uma boa idéia” reescreve história da Caninha 51

Poucas, muito poucas campanhas na história da publicidade brasileira alcançaram a popularidade e a longevidade de “Uma boa idéia”, o bordão indissociável da Caninha 51, da Companhia Müller de Bebidas. Como em qualquer jogada de marketing que supera todas as expectativas, intuição e uma boa dose de sorte foram fundamentais para seu sucesso,que perdura até os dias de hoje.

“Estávamos um dia na agência e disseram que havia um pessoal do interior que gostaria de falar conosco. Tinham aparecido sem avisar”, lembra Magy Imoberdorf, sócia naqueles idos de 1977 da Lage, Magy, Stabel & Guerreiro. Era seu primeiro encontro com Luiz Müller, um dos herdeiros e atual presidente da empresa sediada em Pirassununga (SP). “Ele chegou até nós pela indicação de um professor, ouviu mais algumas agências e acabou nos contratando”, conta Magy. Não foi logo de cara que a “boa idéia” apareceu. De acordo com ela, o material produzido naquele primeiro ano não era digno de nota. “Fizemos coisas ruins, demoramos a acertar. Mas naquele tempo o cliente tinha paciência, confiava no nosso trabalho”, recorda.

Foi em 1978 que o posicionamento definitivo surgiu dentre algumas opções, como “Bem lembrado”. “Em um universo de milhares de pequenos fabricantes, o desafio da companhia era destacar a marca, então apostamos na força do número 51”,diz Magy. O sucesso, segundo ela, foi instantâneo. O slogan literalmente “grudou” na marca, gerando uma série interminável de comerciais, em um casamento entre cliente e agência que perdurou por 23 anos, até 2000.

Entre alguns marcos dessa história está uma série de seis filmes, dirigida pelo então cineasta Arnaldo Jabot com todo o elenco da TV Pirata, programa humorístico veiculado pela Rede Globo no início da década de 80. O último comercial criado por Magy para a marca, ironicamente, era estrelado por uma jovem atriz, Maria Fernando Cândido, que 15 dias depois estouraria na novela global Terra Nostra.

“Tenho muita saudade do tipo de relação que havia no mercado, na qual o cliente confiava no seu trabalho e cujo verdadeiro foco era a construção de marca. Muitas vezes, o senhor Müller só via o filme no ar, pois era complicado vir a São Paulo para assistir a uma prova na moviola”, lembra Magy.

 

 

 

Ficha técnica

Ano de lançamento: 1978
Campanha: “Uma boa idéia”
Anunciante/produto: Companhia Müller de Bebidas/Cachaça 51
Agência: Lage, Magy, Stabel & Guerreiro
Criação: Joaquim Pereira Leite e Magy Imoberdorf
Direção de criação: Magy Imoberdorf

 


Este texto faz parte do livro “Campanhas Inesquecíveis”, publicado pelo Meio & Mensagem, em 2007.

SOBRE O AUTOR

Maria Beatriz Portelinha é mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas do Consumo da ESPM-SP.