Memorial do Consumo

O Brasil vai à guerra – ao menos na Copa do Mundo

guerreiros-brahmaA comunicação está intrinsecamente vinculada ao futebol – e, em especial, na arquitetura do espetáculo global da Copa do Mundo. Pensando em analisar os discursos construídos sobre a seleção nacional de futebol, por ocasião da Copa do Mundo de 2010, o artigo “A seleção brasileira vai à guerra: Consumo, trabalho, nação na Publicidade da copa do mundo de 2010”, do Professor Doutor Vander Casaqui, utiliza os comerciais da marca de cerveja Brahma, patrocinadora oficial da seleção brasileira à época, como objeto.

A comunicação alimentou o conceito de “seleção guerreira”, identificado em narrativas sobre a equipe, nos entrecruzamentos entre o esporte, o consumo, os discursos nacionalistas e o mundo do trabalho.

A Copa do Mundo de Futebol, bem como outros esportes transformados em espetáculos de massa, como os Jogos Olímpicos, são eventos indissociáveis do turismo, da publicidade e do consumo – de aparelhos eletrônicos e de bebidas alcoólicas. Em meio à uma trama complexa e heterogênea que envolve o esporte, o artigo busca compreender a convergência dos discursos publicitários com a prática midiatizada do futebol, e a forma como esses discursos falam do contrato humano, construindo representações que passam por mediações fundamentais dos sujeitos, como o mundo do trabalho e do consumo.

O futebol tem uma cultura própria, tem saberes específicos, alimenta gostos e comportamentos de grupos determinados. Porém, em alguns países, incluindo destacadamente o Brasil, este esporte está entranhado na cultura de maneira geral: o ritual é associado, por influência da publicidade e das estratégias mercadológicas dos anunciantes, à certas “tradições” de consumo, como é o caso da cerveja, a bebida “adequada” para acompanhar o evento.

Isto posto, o artigo volta sua atenção para a marca patrocinadora oficial da seleção brasileira, a cerveja Brahma, por meio de sua comunicação publicitária no contexto da Copa do Mundo de 2010, especialmente nos dois últimos anos em que seus discursos se encadearam com as narrativas em torno da participação do Brasil em Copas passadas.

Quer saber mais? Clique AQUI e baixe o artigo completo, apresentado no GT Discurso y Comunicación do X Congreso ALAIC, realizado em Bogotá, Colômbia, em 2010 e publicado noa edição de número 12 da Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación.

SOBRE O AUTOR

é jornalista e mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas do Consumo da ESPM-SP.