Memorial do Consumo

Escrito na testa e a lógica produtiva da publicidade

O artigo do Prof. Dr. João Carrascoza, A Lógica produtiva da publicidade num conto de Pimo Levi, segue o modelo de outros estudos feitos pelo pesquisador e, de maneira inusitada, se vale de textos de ficção da literatura mundial para analisar aspectos do consumo e da propaganda. O autor começa o artigo citando o poema Eu, etiqueta, de Carlos Drummond de Andrade, no qual é explicitado a relação publicitária do homem com os seus pertences, uma vez que sua utilização seria uma das formas de propagar o produto.

A seguir, Carrascoza  apresenta a obra de Primo Levi, nos mostrando brevemente o percurso literário do autor, focando no conto Escrito na testa, que retrata um jovem candidato a uma vaga em empresa de publicidade. Carrascoza relaciona o conto de Primo Levi com as Teorias da Comunicação, indicando de que maneira as lógicas de consumo capitalistas estão evidentes na história do protagonista Enrico.

No artigo de Carrascoza, é possível observar através de sua análise do conto de Primo Levi, a realidade da sociedade atual, ou seja, a rapidez com que as novidades se tornam obsoletas. Já no final do artigo, Carrascoza apresenta o final da história do conto Escrito na testa e mostra sua relação com a publicidade, relatando que a solução encontrada no conto não pode ser comparada aos efeitos do espalhamento da midiatização da publicidade. Além disso, Carrascoza nos mostra que no conto analisado, o humano é apresentado como desumano e o homem, ao se anunciar para outros homens, tornar-se coisa.

Para conferir o artigo na íntegra, clique aqui.

SOBRE O AUTOR

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas do Consumo da ESPM-SP. Graduada em Publicidade e Propaganda pela ESPM-SP.