Memorial do Consumo

Vitória, 24 anos, publicitária

 

 

WhatsApp Image 2017-11-27 at 18.59.45“Sempre que penso em consumo de moda, me vem à cabeça como encontro nisso uma maneira de expressão. Vejo a importância das roupas muito como um aspecto social/comportamental e até psicológico, do jeito que você se vê e se mostra ao mundo. Mas, além das roupas e acessórios em si que uso, a forma de consumir tais coisas também vem me moldado ao longo do tempo. Por ser muito econômica e gostar de dar bom proveito ao meu dinheiro, sempre foi inconcebível a ideia de gastar 200 reais numa peça de roupa. Não acho errado quem faz, mas não é aonde eu quero investir meu dinheiro. Porque não acho que o retorno é proporcional: quanto mais invisto na peça, melhor me sinto. Me causa certo desconforto pagar um preço que não acho justo por certa peça. Talvez, por isso, o processo de “garimpar”, de encontrar as preciosidades no meio de tanta coisa, acabou se tornando um processo de expressão pra mim também. Encontrar um item que compõe tão bem a ideia que eu tenho de um look, pagando pouco, hoje me traz tanta satisfação quanto usar o item. Na foto, eu uso um óculos que ganhei da dona de um brechó onde costumo ir para fazer compras. E parece que se torna mais prazeroso ainda “aparentar” dessa forma, porque eu sei de todo o processo para compor essa ideia. Inclusive, sou viciada em brechós, principalmente os de Instagram! Adoro ver meu feed cheio de peças que carregam uma identidade poderosa e isso se potencializa quando sei que estou consumindo de forma consciente. Cada vez mais, tenho criado uma forma de consumo que consegue exprimir minhas sensações, posicionamentos e ideologias, assim como procuro que minhas roupas façam.” Vitória, 24 anos, publicitária

SOBRE O AUTOR

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas do Consumo da ESPM-SP. Graduada em Publicidade e Propaganda pela ESPM-SP.