Memorial do Consumo

Imaginar o país em época de Copa

O ano novo chegou e com ele se inicia mais uma vez a mobilização para a Copa do Mundo. Mas dessa vez será ligeiramente diferente. Será a primeira Copa após as mudanças significativas de 2014. A Copa no Brasil coincidiu com crise econômica e política e assim criou um fenômeno que até então não havíamos visto: um intenso senso crítico em relação ao maior evento de futebol da Terra.

 

Projeto de Empreendedorismo Social imagina o paísA revolta com os gastos suntuosos em estádios puxou inúmeros protestos que iam além da reclamação com os valores investidos na festa: eles apontavam onde esses investimentos poderiam ser aplicados. “Queremos Hospitais Padrão Fifa” e “Queremos Escolas Padrão Fifia” eram cartazes comuns nesses protestos. Ainda que de forma rudimentar, essas manifestações não deixam de demonstrar as prioridades que as pessoas imaginam para o seu país ideal.

 

Em meio a todo esse cenário, um grupo de jovens fundou o “Imagina na Copa”, uma plataforma digital que dá visibilidade a iniciativas de empreendedores sociais brasileiros. O empreendedorismo social é uma cena que vem ganhando espaço em nossa sociedade e em outras partes do mundo. No site do “Imagina na Copa” vemos jovens que se colocam como protagonistas e agentes de mudanças positivas. Em artigo que analisa essa iniciativa, o professor Vander Casaqui identifica nela alguns dos elementos que compõem a cena do empreendedorismo social: atitude individual positiva e o trabalho cooperativo. Mas o que isso diz sobre o nosso próprio tempo? Se nos anos 90 os agentes de mudança positiva eram as ONGs, por que agora vemos os holofotes sobre as empresas sociais?

 

O artigo para a Revista E-Compós, escrito pelo professor do PPGCOM-ESPM, Doutor Vander Casaqui, analisa o que o “Imagina na Copa” revela sobre os significados do empreendedorismo social, da sua relação com o espírito do capitalismo e do seu caráter de discurso social. Para isso ele emprega a análise do discurso, uma teoria e técnica que olha as palavras escolhidas em um texto para nos ajudar a compreender o fato comunicacional em sua complexidade e em conexão com outros fenômenos.

 

Ele também identifica a comunicação como um elemento fundante para que um empreendedor seja um empreendedor social e a partir daí investiga como modalidades de comunicação produzem ou se agenciam com processos de sociabilidade. Resumindo: uma “simples” iniciativa como o Imagina na Copa pode nos ajudar a entender melhor o país e o momento que vivemos.

 

O artigo você pode conferir no link: http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/view/1104/810

 

A E-Compós é editada pela Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação e está classificada como uma revista A2, no conceito Qualis Capes, que mede o impacto dos periódicos científicos.

SOBRE O AUTOR

é curiosa, adora viajar e perguntar o porquê das coisas. Se formou na ESPM e trabalhou em grandes agências. Hoje atua como redatora, pesquisadora e estrategista independente. É mestranda do PPGCOM-SP