Memorial do Consumo

O que ganhou o coração dos consumidores em 2017?

gondolaOs consumidores atuais são “globais”: a grande maioria tem acesso a marcas nacionais e multinacionais. Porém, quando “Made in​​” tem influência sobre os comportamentos de compra? É isso que o estudo “Made in…”, da Nielsen, pretende destacar: as preferências e percepções​​​​ dos consumidores em relação aos produtos fabricados por grandes marcas multinacionais​ comparado aos produtos fabricados localmente em 34 categorias.

Pelos resultados da última edição, os consumidores de todo o mundo mostram uma crescente preferência pelas marcas globais ao invés de produtos fabricados localmente. Na verdade, somente dois segmentos se destacam entre as marcas locais: laticínios e alimentos frescos. Esse favoritismo faz sentido, uma vez que frescor, qualidade e conveniência estão na lista de preocupações dos consumidores ao desembolsar com produtos perecíveis.

Acompanhando o resto do mundo, o estudo da Nielsen aponta que os brasileiros preferem marcas locais quando se trata da compra de alimentos frescos (como leite, manteiga, queijos e iogurte), ao mesmo tempo em que preferem as marcas globais especialmente para produtos para bebês (como fraldas e alimentos de fórmula), energéticos, vitaminas e suplementos e itens de higiene pessoal feminina. Para essas últimas categorias mencionadas, somente 8% a 12% dos brasileiros entrevistados afirmaram preferir marcas locais.

nielsen
Dentro do segmento de alimentos, o brasileiro também escolhe marcas locais para produtos como biscoitos e snacks (34%), sorvetes (31%), cereais matinais (30%) e carnes e frutos do mar congelados (30%). Por outro lado, sua escolha se baseia em marcas internacionais para produtos enlatados ou em conserva (somente 12% para locais) e alimentos para bebês (11%).

Em matéria de bebidas, a preferência local não é tão determinante quanto para alimentos, especificamente em categorias como bebidas alcoólicas e gaseificadas, em que somente 15% e 13% dos brasileiros, respectivamente, elegem nacionais. Por outro lado, 5 a cada 10 consumidores escolhem marcas locais para leite, 34% usam o mesmo critério para água mineral, bem como para chás e cafés (35%).

Ainda segundo a Nielsen, é perceptível que as marcas multinacionais/globais têm ganhado o coração e a mente dos consumidores. “Em um mundo cada vez mais globalizado, em que as marcas estão disponíveis pela internet, e as percepções em torno da qualidade, do frescor e da confiança são constantemente associadas a produtos fabricados mundialmente”.

Por outro lado, as locais devem usufruir da compreensão do mercado em que estão inseridas e do poder de decisão para inovar em áreas de necessidades não atendidas, aumentar seus esforços em fabricação, distribuição e promoção, bem como trabalhar mais na comunicação, personalizando e posicionando o produto conforme as preferências e a cultura local de maneira a se conectar com o consumidor da região.

Via Nielsen.

SOBRE O AUTOR

é jornalista e mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas do Consumo da ESPM-SP.