Memorial do Consumo

Gislaine Dalmazo, 35 anos, diarista

Gislaine “Quando penso nas coisas que comprei ao longo da vida que mais me entusiasmaram, lembro logo de três itens, bem diferentes entre eles. O primeiro é a coleção de papel de carta da minha infância. Dos 8 até uns 14 anos, aqueles papéis de carta eram a minha alegria. Nunca parei para contá-los, mas calculo que eu tinha mais de 400! Na época, as meninas costumavam trocar papel de carta com as amigas. Mas eu não trocava, porque simplesmente não conseguia me desfazer! Era muito apegada a cada um deles.

Na minha vida adulta, uma conquista que me marcou foi a minha primeira geladeira. Pode parecer bobo falando hoje, mas na época eu tinha saído do interior para São Paulo praticamente só com a roupa do corpo. Acabei vivendo sem geladeira um bom tempo, porque não tinha como comprar uma à vista, nem como conseguir um cartão de crédito ou abrir um crediário. Um dia, uma patroa (ela e eu ficamos muito amigas depois!) ‘tirou’ uma geladeira para mim. Já faz mais de 10 anos, mas ainda lembro que custou R$ 800. Era a coisa mais cara que eu já tinha comprado na vida!

 A terceira memória é a minha festa do meu casamento. Só fui casar mesmo, de papel passado e festão, oito anos de depois que já morava com meu marido. Adorei poder reunir os amigos e familiares e celebrar em uma festa em um buffet, com direito a vestido de noiva. Foi um sonho que se tornou realidade, fruto de muito esforço!”

 

SOBRE O AUTOR

Rosa Fonseca é publicitária e mestranda no PPGCOM da ESPM-SP.