Memorial do Consumo

Comunicação, discursos e biopolíticas do consumo

BIOCON

Descrição

O Grupo “Comunicação, discursos e biopolíticas do consumo”, certificado pelo CNPq no início de 2015, coordenado pela Profa. Dra. Tânia Hoff, é composto por: um bacharel, quatro mestrandos (três bolsas CAPES Taxa e uma Institucional), dois mestres, três doutorandos (duas bolsas CAPES Integral e uma Institucional) e dois pós-doutorandos.

A temática investigada pelo grupo abrange a constituição de discursos na articulação entre comunicação midiática e  consumo, a partir da noção de biopolítica e biossociabilidade, privilegiando as representações midiáticas do corpo. Se o corpo é uma experiência da qual o sujeito não pode apartar-se, posto não haver existência sem corpo, somos instados a concebê-lo como reduto no qual o sujeito contemporâneo experimenta subjetividades, sociabilidades e politicidades. Abrem-se, deste modo, inúmeros caminhos para os estudos do corpo, em especial aqueles do campo da comunicação e do consumo, com vistas à constituição discursiva e às convocações biopolíticas (bem como as biossociabilidades) do consumo. Nesta perspectiva, a dimensão do discurso é bastante fértil para a observação dos processos de produção de sentido, já que todo discurso nasce de outro (sua matéria prima) e aponta para outro (seu futuro discursivo). O discurso é processo, entre o “já dito” e o “por dizer” constituindo-se no repetível dos muitos e heterogêneos enunciados expressos num dado momento histórico.

Ementa

Tendo como perspectiva as lógicas de produção de discursos do consumo e convocações biopolíticas que os constituem, o grupo de pesquisa investiga os processos e as estratégias de construção discursiva e das convocações biopolíticas da comunicação midiática (independentemente do meio e do suporte tecnológico) nas culturas do consumo – a abordagem se realiza, portanto, em dois âmbitos: o das discursividades e o das biopolíticas. Deste modo, no âmbito das discursividades, privilegiam-se estudos sobre a constituição de discursos; as mutações das discursividades, a relação entre memória e inovação discursiva, bem como a emergência de discursos na cena midiática; já no âmbito das biopolíticas, privilegiam-se os processos e os modos de convocação e de configuração das biopolíticas do consumo na cena midiática, bem como os modos de implicar o corpo nas referidas convocações. O principal aporte teórico-metodológico é a Análise de Discurso de linha francesa em diálogo com estudos de biopolítica e de biossociabilidades, no que se refere aos modos de gestão de si e de produção do corpo na contemporaneidade.

Linhas de pesquisa

Linha 1: Comunicação, biopolíticas e biossociabilidades do consumo

Emergência das biopolíticas do consumo na cena midiática contemporânea;  convocações biopolíticas na mídia; corpo como instância promotora de regimes de visibilidade e de biossociabilidades; estratégias de convocação midiática para a gestão de si e produção do corpo nos processos de assujeitamento às culturas do consumo.

Linha 2: Comunicação, discurso, diferença e corpo

Constituição dos discursos do consumo e da diferença; mutações discursivas na cena midiática em perspectiva sincrônica e diacrônica; apropriações do conceito de diferença pelas culturas do consumo; representações midiáticas do corpo; regimes de visibilidade; corpo como instância de produção discursiva e deslocamentos de sentido.

Objetivos

Principal

Problematizar as mutações discursivas e a constituição de discursos nas culturas do consumo, a partir das noções de biopolítica e de biossociabilidade articuladas à conduta teórico-metodológica da Análise de Discurso.

Secundários

1) Analisar a constituição de discursos do consumo na comunicação midiática, suas estratégias e lógicas de produção.

2) Estabelecer aproximações e distinções entre Análise do Discurso francesa, Análise crítica de Discurso e Teoria do discurso.

3) Analisar e desenvolver reflexões teóricas a respeito dos discursos e das biopolíticas do consumo, em perspectivas diacrônica e sincrônica.

4) Analisar os estudos de Foucault e estudiosos de sua obra para refletir sobre biopolítica e biossociabilidade na cena midiática contemporânea.

5) Mapear e caracterizar as estratégias de convocações biopolíticas e a promoção de biossociabilidades na cena midiática contemporânea.

6) Relacionar os discursos do consumo e as convocações biopolíticas com os regimes de visibilidade da comunicação midiática, bem como a produção discursiva e deslocamentos de sentido do corpo.

7) Mapear as apropriações do conceito de diferença nas culturas do consumo e suas implicações nos regimes de visibilidade e nas convocações biopolíticas na comunicação midiática.

Equipe

Coordenadora

Participantes

Internos

Externos

Internacionais

Produção

  • Encontros mensais organizados a partir de leitura e debate de textos.
  • Publicação de artigos em congressos acadêmicos, periódicos científicos e capítulos de livros nacionais e internacionais da área da comunicação e de áreas afins.
  • Realização de evento, composto por quatro encontros ao longo do segundo semestre de 2015, privilegiando temas que o grupo investiga e que estão relacionados às suas linhas de pesquisa.

Calendário

2018

tabela-gp-2018

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2017

agenda-gp

 

Biblioteca

Financiamentos obtidos

  • CNPq, Edital 43/2013 Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas.

Contato