Memorial do Consumo

GRUSCCO – Subjetividade, comunicação e consumo

Descrição

Este grupo de pesquisa cadastrado no CNPq e vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da ESPM-SP, iniciou suas atividades em março de 2015. Dentre seus objetivos está a consolidação de parcerias nacionais e internacionais que viabilizem a participação deste grupo junto a editais públicos de fomento à pesquisa. Enquanto se dedicam a leituras e discussões sobre temáticas relacionadas aos diversos modos de imbricação da comunicação e do consumo na produção de subjetividades no contemporâneo, seus pesquisadores promovem reflexões que visam constituir o arcabouço teórico-conceitual que alicerça seus projetos individuais de pesquisa – nos quais se incluem dois doutorados e três mestrados – bem como outras produções elaboradas conjuntamente em caráter colaborativo.

O Grupo se reúne periodicamente para compartilhar resultados e discutir pontos convergentes de reflexão teórico-crítica sobre a temática das interfaces entre comunicação, consumo e subjetividade. A leitura compartilhada de uma bibliografia comum confere sustentação aos trabalhos do grupo. Devido à complexidade das inter-relações propostas em cada linha de pesquisa, privilegia-se a abordagem qualitativa em investigações empíricas, ancoradas em densa fundamentação teórica de caráter multi e transdisciplinar. Os procedimentos metodológicos incluem pesquisa bibliográfica, documental, iconográfica e de campo, com elementos de etnografia virtual, netnografia, monitoramento e análise de produções midiáticas em diferentes suportes, entrevistas com especialistas, dentre outros procedimentos demandados por cada projeto desenvolvido pelos integrantes do Grupo.

Dentre as atividades promovidas pelo grupo, destacam-se a organização do GT-6: Comunicação, Consumo e Subjetividade no COMUNICON (Congresso Comunicação e Consumo); mesas redondas, oficinas, palestras e mini cursos em nível de extensão e aprimoramento.

Ementa

Tendo em vista a centralidade dos processos de comunicação e das práticas de consumo na atualidade, entendemos que o estudo das articulações entre comunicação e consumo como vetores de produção de subjetividades constitui um núcleo temático de grande relevância nos debates acadêmicos sobre o contemporâneo. Este grupo se pretende um interlocutor qualificado e consistente deste debate, em âmbito nacional e internacional.

Em linhas gerais, problematizamos: a) o coaching midiático dos modos de ser e de viver em nossos dias; b) a promoção de estilos de vida ancorados em determinados padrões de consumo; c) a constituição da terceira idade como segmento de consumo; d) a consolidação da juventude como valor a ser exibido em qualquer idade; e f) os modos de endereçamento de práticas comunicacionais e de consumo voltadas para o público mais velho, dentre outros temas.

Interessa-nos pensar criticamente: a) os modos de endereçamento dos discursos midiáticos; b) a relação entre entretenimento, tecnologias e digitalização da cultura; c) as estratégias de convocação do consumidor conectado às redes digitais de comunicação, sociabilidade e negócios; d) os usos comerciais do conteúdo gerado pelos usuários em sites e serviços de rede social na internet; e) a tematização do envelhecimento e as representações sociais dos mais velhos em circulação nas narrativas midiáticas, no cinema e na publicidade.

Ao privilegiar as articulações comunicação-consumo em suas dimensões simbólicas e materiais, os estudos realizados no âmbito deste grupo de pesquisa pretendem contribuir para adensar nossa compreensão dos modos de ser e de viver em nossos dias.

Objetivos

Filiado à linha “Estratégias de comunicação e produção de mensagens midiáticas voltadas às práticas de consumo” do PPGCOM ESPM, este grupo de pesquisa tem como objetivo investigar as interconexões comunicação-consumo sob o viés da produção de subjetividades. Parte-se de uma concepção ampla da comunicação, tomando-a em sua dimensão de vínculo social. Considera-se, neste recorte, a centralidade das lógicas de consumo e a complexa estrutura midiática no contemporâneo. Com base nesses pressupostos, o grupo tem como objetivo refletir sobre os modos de ser e de viver promovidos pelas diversas instâncias de produção midiática atuais, incluindo o novíssimo campo das redes de comunicação, sociabilidade e negócios, as chamadas redes sociais digitais, estudadas por meio dos seus modos de endereçamento (Ellsworth, 2001) e das estratégias midiáticas que abrigam e ajudam a difundir. Pretende-se constituir um arcabouço teórico-metodológico que contribua para fundamentar e qualificar os debates no campo sobre estas temáticas tão centrais na atualidade.

Dentre os objetivos está a nucleação no GT6 – Comunicação, Consumo e Subjetividade do COMUNICON (Congresso Internacional Comunicação e Consumo) das pesquisas relacionadas com as temáticas do grupo que estejam em desenvolvimento em outras IES. Destaca-se a articulação dos trabalhos deste grupo em redes nacionais e internacionais de pesquisadores, tais como a Rede Obitel, Ibercom, SLAS (Society for Latin American Studies, UK), dentre outras, para fins de intercâmbio e qualificação de nossos trabalhos e dos pesquisadores membros.

Para dar conta destes objetivos, o grupo está estruturado em duas linhas de pesquisa: 1) Comunicação, Consumo e Envelhecimento, e 2) Sociabilidade e Consumo na Cultura Digital.

Linhas de pesquisa

Linha 1: Comunicação, Consumo, Envelhecimento e Longevidade

Com o envelhecimento populacional mundial, a questão da velhice figura no centro do debate social. Com base nas articulações comunicação-consumo, esta Linha estuda a construção sociocultural da velhice, enfocada para além de seu aspecto etário. No campo da Comunicação, pouca atenção tem sido devotada ao estudo das representações sociais do envelhecimento e aos modos de comparecimento desta temática nas produções midiáticas contemporâneas. O estudo da constituição social dos modos de ser e de atribuir sentido às diferentes etapas do ciclo da vida adquire especial significação quando a terceira idade se transforma em segmento de consumo. Sendo assim, esta linha investiga as interações estabelecidas entre as culturas midiática e de consumo, sob o ponto de vista dos sentidos produzidos e em circulação acerca dos processos e dinâmicas atrelados aos valores e discursos sobre o envelhecimento. Afastando-se de uma compreensão da velhice como patamar etário, considera-se o processo de envelhecimento em seus múltiplos e diversificados atravessamentos socioculturais tais como gênero, classe socioeconômica, etnia, perfis psicossociais e de saúde, regionalidades, religiosidades, tecnicidades, filiações ético-estéticas, padrões culturais e de consumo, dentre outros.

Desse modo, o grupo se propõe a pensar a constituição de estilos de vida e modelos identitários oferecidos como exemplares em diferentes tipos de narrativas midiáticas, examinadas em suas características complexas, plurais e por vezes paradoxais. Problematizam-se a constituição da juventude como valor emblemático da atualidade; o imperativo social da aparência juvenil e o ideário ageless nos discursos anti-idade em circulação; as representações sociais do envelhecimento acionadas pela indústria do entretenimento; a função social das celebridades e das mini celebridades como figuras de mediação das contradições do contemporâneo; a convocação do idoso como consumidor conectado, dentre outros temas de interesse.

Linha 2: Sociabilidade, Comunicação e Consumo na Cultura Digital

Esta linha investiga as novas formas de acoplamento e hibridização humano-tecnológicos e a grande penetração das redes digitais de comunicação, sociabilidade e negócios e seus modos de endereçamento nos processos de subjetivação e das dinâmicas sociais atuais.  Os estudos desenvolvidos pelos pesquisadores que integram esta Linha se debruçam sobre as as apropriações mercadológicas das interações online; as associações entre as dinâmicas de entretenimento e as lógicas de consumo; as estratégias de convocação do consumidor conectado.

Ao colocar em discussão o senso comum acerca do suposto ‘empoderamento’ do consumidor conectado, os pesquisadores desta linha problematizam o determinismo tecnológico e o caráter dito espontâneo da produção de conteúdo em plataformas digitais, chamando a atenção para a crescente mercadorização das interações nas mais diversas esferas sociais. Desse modo, as estratégias de segmentação e as lógicas de consumo em ação nos bastidores das redes digitais; as transformações nos regimes de atenção; a mobilização afetiva como estratégia de negócios;  a mediação cultural dos fãs, amigos, seguidores e novos especialistas online; o consumo de experiências e a monetização das experiências de consumo narradas nas chamadas mídias sociais; a gamificação do cotidiano e a curadoria algorítmica da vida cultural estão entre os temas de interesse de seus integrantes.

Equipe

Coordenadora

Gisela Grangeiro da Silva Castro

Participantes em 2018

Colaboradores Externos

Internacionais

  • Mike Featherstone (Professor, Sociology Department – Goldsmiths College, University of London)
  • Clea Bourne (Lecturer, Media and Communication Department – Goldsmiths College, University of London)
  • Virpi Yläne (Senior Lecturer, School of English, Communication & Philosophy – Cardiff University)

Nacionais

  • Guita Grin Debert (UNICAMP)
  • Fátima Régis de Oliveira (UERJ)

Contato

  • castro.gisela@gmail.com

 

Produção

 


 

 

Realizações em 2018

 

COMUNICOM

COMUNICON 2018

  • No COMUNICON 2018, a Profa. Dra. Gisela Castro mediou a mesa intitulada Criança Conecta: nas lógicas da comunicação e do consumo, a qual integrou a programação do PRÉ-COMUNICON, no dia 8/11 . Além da mediação da Profa. Gisela Castro, o debate contou com a presença de diversos pesquisadores, cujos interesses perpassam as práticas de consumo empreendidas por crianças e adolescentes em um ambiente crescentemente permeado por dispositivos digitais. Para tanto, a referida mesa ofereceu a todos os presentes informações, dados e, principalmente, reflexões que contribuem para pensar a respeito da dimensão e do espaço ocupado por essa geração na contemporaneidade.

 

  •  7º Encontro de Grupos de Trabalho de Pós-Graduação – GT 06 Comunicação, Consumo e Subjetividade. Realizado nos dias 11 de novembro, com organização do GRUSCCO, sob a coordenação da Profa. Dra. Gisela G. S. Castro:

 

  • Total de Trabalhos Submetidos: 52 | Total de Trabalhos Apresentados: 35

 

  • Por Região:
    Norte: 0
    Nordeste: 2 (UFPE)
    Centro-Oeste:0
    Sul: 4 (UFSM, UNIJUÍ – RS, UEL – PR, UNISINOS)
    Sudeste: 29 (UERJ, UFRJ, PUC-RJ, UFF, CASPER, ESPMM UNISO, USP, PUC-SP)

 

  • Por Instituição:
    UERJ, UFRJ, UFF,  PUC-Rio. CASPER, ESPM,UNISO, USP, PUC-SP:
    UERJ: 04
    UFRJ: 03
    UFF: 03
    PUC-Rio: 03
    CÁSPER: 02
    ESPM: 09
    USP: 02
    UNISO: 01
    PUC-SP: 03
    UFPE: 02
    UFSM:01
    UNIJUÍ-RS: 01
    UNISINOS: 01

 

  • Por titulação:
    Mestrandos: 10
    Mestres:06
    Doutorandos:13
    Doutores:03
    Pós-doutores:03
  • Co-autores:
    Mestrandos:01
    Mestres:0
    Doutorandos:04
    Doutores:06
    Pós-doutorandos:01

 

LIVROS LANÇADOS

Os Velhos na Propaganda

  • A profa. Dra. Gisela Castro lançou o livro “Os Velhos Na Propaganda: atualizando o debate”, publicado pela Pimenta Cultural. A obra trata de como imagens, sons e tons das produções midiáticas participam da modulação dos modos como nossas sociedades se relacionam com os mais velhos, reforçando ou rechaçando estereótipos e preconceitos que permeiam práticas e discursos, dialogando com os importantes temas da gestão da diversidade e da responsabilidade social de marcas e corporações. E-book disponível para download gratuito aqui.

Envelhecimento no Contemporâneo

  • A profa. Gisela G. S. Castro e  a profa. Tânia Hoff (PPGCOM-ESPM) organizam a obra “Comunicação, Consumo e Envelhecimento no Contemporâneo: perspectivas multidisciplinares”, lançado pela Editora Sulinas. A obra reúne pesquisadores de reconhecida expertise para promover um debate de fôlego sobre a relevante temática do envelhecimento. Este tema inquietante é aqui enfocado pelas lentes da história da cultura contemporânea, da gerontologia cultural, da antropologia cultural, da psicologia social, da sociologia e da psicanálise, visando se afastar do senso comum a partir de uma reflexão sobre suas relações com a comunicação e o consumo.

Laços entre Comunicação e Educação

  • A doutoranda Beatriz Braga Bezerra lançou a coletânea Laços entre comunicação e educação: reflexões sobre novas plataformas midiáticas e interferências estéticas, publicada pela editora Pimenta Cultural, organizada em parceria com Dorama de Miranda Carvalho, também doutoranda do PPGCOM ESPM-SP.

 

EXAMES DE QUALIFICAÇÃO

  • (Doutorado em Comunicação e Práticas de Consumo) – Beatriz Braga BezerraO valor pedagógico da publicidade – uma reflexão sobre comunicação e consumo a partir de anúncios do iPhone no YouTube. Orientação: Profa. Dra. Gisela G. S. Castro. Banca Examinadora: Profs. Drs. Rogério Covaleski (UFPE) e João Anzanello Carrascoza (ESPM) – agosto/2018
  • (Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo) – Marcelo de Andrade Comunicação, consumo e diversão nos videos unboxing: a publicidade e a criança conectada. Orientação: Profa. Dra. Gisela G S Castro. Banca Examinadora: Prof. Luiz Peres Neto (ESPM) e Renata Tomaz (UFF) – agosto/2018
  • (Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo) –  Vivian Layane de Araújo Barroso Veras – Narrativas inoperacionais, moda e autoajuda: convocação neoliberal ao consumo de subjetividades em Girlboss, de Sophia Amoruso. Orientação. Profa. Gisela G. S. Castro. Banca examinadora: Dra. Eliza Bachega Casadei (ESPM) e Dra. Mayka Juliana Castellano Reis (UFF) – agosto/2018

 

DEFESAS

  • (Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo) Luciana da Silva Correa: “Ele é meu amigo”: uma discussão sobre o consumo de smartphones e sua apropriação por mulheres idosas na cidade de S. Paulo (título provisório). Banca composta por Gisela Castro (orientadora), Tania Hoff (ESPM) e José Carlos Rodrigues (UFBA) – abril/2018
  • (Doutorado em Comunicação e Práticas de Consumo) Beatriz BragaO valor pedagógico da publicidade – uma reflexão sobre comunicação e consumo a partir de anúncios do iPhone no YouTube. Orientação: Profa. Dra. Gisela G. S. Castro – dezembro/2018

 

PUBLICAÇÕES

 

OUTRAS ATIVIDADES 

  • OFICINA DE REDAÇÃO ACADÊMICA – ministrada pela Profa. Gisela G. S. Castro, na ESPM-SP, campus na R. Joaquim Távora – maio/2017

 

  • OFICINA SOBRE CURRICULUM LATTES – ministrada pelas Profs. Gisela G. S. Castro e Denise Cogo, na ESPM-SP, no campus da R. Álvaro Álvim – outubro/2017– outubro/2017

 

  • PARTICIPAÇÕES EM EVENTOS:
    • Evento Seminário Homem Brasileiro 2018 – palestra da Gisela G. S Castro – realizado no Unibes Cultural – agosto/2018
    • Evento Seminário Comunicação, Trabalho e Discursos, realizado na ECA -USP – agosto/18

 

  • GRUPOS DE ESTUDOS 
    • Atividade Conjunta com o GPECC (Grupo de Pesquisa em Ética, Comunicação e Consumo, coordenado pelo Prof. Luiz Peres Neto (PPGCOM ESPM), para discussão conjunta do livro:
      • TRENTMANN, Frank. The empire of things:  how we became a world of consumers from the fifteenth century to the twenty-first. London: Harper Allen Lane, 2017.

      Síntese:

      Frank Trentmann é professor de história no Birkbeck College, na Universidade de Londres, onde dirige o programa de pesquisa Culturas do Consumo. Seu último livro, Free Trade Nation, ganhou o Prêmio Whitfield de estudos históricos, da Royal Historical Society. Trentman foi educado na Universidade de Hamburgo e em Harvard, onde recebeu seu PhD. Em 2014 , recebeu o título de Moore Distinguished Fellow, na Caltech. Esse livro apresenta um estudo monumental, que desdobra a extraordinária história do nosso mundo material, desde a China Ming, a Itália da Renascença e o Império Britânico até o presente. Abrangente e ricamente detalhado, The Empire of Things explora como o consumo mudou e impactou o curso da história e os desafios globais que enfrentamos em relação a esse tema.

 

Calendário 2018

Cronograma de Leituras Grupo de Estudos GRUSCCCO-GPECC 2018/2 – reuniões das 14 às 16h na sala C 409

  • Terça-feira, 18/setembro – introdução, caps. 1, 2, 3 e 4.
  • Sexta-feira, 28/setembro – caps. 5 e 6
  • Terça-feira, 16/outubro – caps. 7 e 8
  • Sexta-feira, 30/outubro – prefácio da parte 2, caps. 9, 10 e 11
  • Terça-feira, 13/novembro – caps. 12, 13 e 14
  • Sexta-feira, 23/novembro – cap. 15 e epílogo

 

Encontros Mensais do GRUSCCO em 2018 – reuniões sempre às terças-feiras, das 14 às 17h30, na C415, no Campus Álvaro Alvim)

  • 27/fevereiro
  • 20/março
  • 17/abril
  • 12/junho
  • 14/agosto
  • 18/setembro

gruscco

Registro da reunião do GRUSCCO em 27 /02/ 2018

 

 

Projetos em andamento

  • Documentário Os velhos na Propaganda – Resultado da pesquisa “Os velhos na propaganda: 25 anos depois”,montagem de documentário de curta-metragem (DVD, em torno de 12 minutos de duração) apresentando resultados do projeto coletivo de pesquisa que concluído pelo GRUSCCO em 2017.

 


 

Bibliografia

APPLEWHITE, A. This chair rocks: a manifesto against ageism. Networked Books, 2016.

BACCEGA, Maria Aparecida. “Inter-relações comunicação e consumo na trama cultural: o papel do sujeito ativo”. In: CASTRO, Gisela G. S. e TONDATO. Marcia P. (Orgs.). Caleidoscópio midiático: o consumo pelo prisma da comunicação. São Paulo: ESPM/RS Press, 2009, p. 12 – 30.

BEAUVOIR, Simone. A velhice: a realidade incômoda. São Paulo: Difel, 1976.

BOYD, Danah. It’s complicated: the social lives of networked teens. Boston: Yale University Press, 2015.

CASTELLS, Manuel. Communication power. Oxford: Oxford University Press, 2009.

CLARKE, Laura Hurd. Facing age: women growing older in anti-aging culture. Plymouth, UK: Rowman & Littlefield, 2011.

CRARY, Jonathan. 24/7 – Late capitalism and the ends of sleep. Londres e Nova York: Verso, 2013.

DANTAS, Silvia G. O envelhecimento na tela: o discurso da velhice ativa em programas de TV e documentários. Novos Olhares: Revista de Estudos Sobre Práticas de Recepção a Produtos Midiáticos. Vol. 6, n. 1, S. Paulo: USP, 2017, p. 101-114.

DAVIES, William. The happiness industry: how the government and big business sold us well-being. London, New York: Verso, 2016.

DEBERT, Guita Grin. A reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: Edusp, 1999.

DELEUZE, Gilles. “Post Scriptum sobre a sociedade de controle”. In: Conversações: 1972 –1990. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

EGGERS, D. The circle. Toronto, S. Francisco: Knopf, Random House, 2013.

ELLSWORTH, Elizabeth. ‘Modos de endereçamento: uma coisa de cinema; uma coisa de educação também’. In: SILVA, Tomás T. (Org.). Nunca fomos humanos: nos rastros do sujeito. Belo Horizonte: Autêntica, 2001, p. 07 – 76.

FEATHERSTONE, Mike; WERNICK, Andrew (Eds.). Images of aging: cultural representations of later life. London e N. York: Routledge, 1995.

FERRAZ, Maria Cristina F. Ruminações: cultura letrada e dispersão hiperconectada. Rio de Janeiro: Garamond, 2015.

FREIRE FILHO, João. (Org.). Ser feliz hoje: reflexões sobre o imperativo da felicidade. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2010.

GOLDENBERG, Miriam. A bela velhice. Rio de Janeiro e S. Paulo: Record, 2013.

GUATTARI, Felix. As três ecologias. Rio de Janeiro: Papirus, 2005.

GUILLEARD, Christopher e HIGGS, Paul. Cultures of ageing: self, citizen and the body. London: Pearson, 2000.

HARRINGTON, C. L.; BIELBY, D. D.; BARDO, A. R. (Eds). Aging, media and culture. London, Lexington Books, 2014.

ILLOUZ, Eva. Amor nos tempos do capitalismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2011.

JOOST, M. A long time coming: essays on old age. London, Scribe, 2016.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos. Rio de Janeiro: Ed. 34, 2009.

LAZZARATO, Maurizio. Signos, máquinas, subjetividades. S. Paulo: Ed. Sesc SP, N-1 Edições, 2014.

LINS DE BARROS, Myriam M. (Org.). Velhice ou terceira idade? Estudos antropológicos sobre identidade, memória e política. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006.

NERI, Anita L. (Org.). Idosos no Brasil: vivências, desafios e expectativas na terceira idade. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, Ed. Sesc SP, 2007.

PRIMO, Alex. “Industrialização da amizade e a economia do curtir: estratégias de monetização em sites de redes sociais”. In: Lídia Oliveira; Vania Baldi. (Org.). A insustentável leveza da web: retóricas, dissonâncias e práticas na sociedade em rede. Salvador: EDUFBA, 2014, p. 109-130.

PRIMO, Alex. Interações em rede. Porto Alegre: Sulina, 2013.

ROLNIK, Suely. “Toxicômanos de identidade. Subjetividade em tempo de globalização”. In: Daniel Lins. (Org.). Cultura e subjetividade. Saberes Nômades. Campinas: Papirus, 1997; p.19-24.

MILLER, Paul e ROSE, Nikolas. Governando o presente. S. Paulo: Paulus, 2012.

PAPACHARISSI, Z. (Ed.). A networked self: identity, community and culture on social network sites. N. York, London: Routledge, 2011.

PICKARD, S. Age studies: a sociologial examination of how we age and are aged through the life course. London: Sage, 2016.

RETTBERG, J. W. Seeing ourselves through technology: how we use selfies, blogs and wearable devices to see and share ourselves. N. York: Palgrave Macmillan, 2014.

SASSATELLI, Roberta. Consumer culture: history, theory and politics. London: Sage, 2007.

SERRES, Michel. Polegarzinha: uma nova forma de viver em harmonia, de pensar as instituições, de ser e de saber. S. Paulo: Bertrand Brasil, 2013.

SHIELDS, Rob. (ed.). Lifestyle shopping: the subject of consumption. London: Routledge, 1992.

SIBILIA, Paula. Redes ou paredes: a escola em tempos de dispersão. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

SILVA, Tomás T. (Org.) Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

SILVERSTONE, Roger. Por que estudar a mídia? São Paulo: Loyola, 2002.

SODRÉ, Muniz. A ciência do comum: notas para o método comunicacional. Petrópolis: Vozes, 2014.

TRENTMANN, Frank. The empire of things:  how we became a world of consumers from the fifteenth century to the twenty-first. London: Harper Allen Lane, 2017.

TURKLE, S. Alone together: why we expect more from technology and less from each other. N. York: Basic Books, 2012.

YLÄNE, Virpi. Representations of ageing in the media. In: TWIGG, J.; MARTIN, W. (Eds.). The Routledge Handbook of Cultural Gerontology. London: Routledge, 2015.

WU, T. Attention merchants: the epic scramble to get inside our heads. N. York: Knopf, 2016.