Memorial do Consumo

GRUSCCO – Subjetividade, comunicação e consumo

Descrição

Este grupo de pesquisa cadastrado no CNPq e vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da ESPM, São Paulo, iniciou suas atividades em março de 2015. Dentre seus objetivos está a consolidação de parcerias nacionais e internacionais que viabilizem a participação deste grupo junto a editais públicos de fomento à pesquisa. Enquanto se dedicam a leituras e discussões sobre temáticas relacionadas aos diversos modos de imbricação da comunicação e do consumo na produção de subjetividades no contemporâneo, seus pesquisadores promovem reflexões que visam constituir o arcabouço teórico-conceitual que alicerça seus projetos individuais de pesquisa – nos quais se incluem três doutorados, quatro mestrados e um projeto final de Graduação em andamento – bem como outras produções elaboradas conjuntamente em caráter colaborativo.

O Grupo se reúne quinzenalmente para compartilhar resultados e discutir pontos convergentes de reflexão teórico-crítica sobre a temática das interfaces comunicação, consumo e subjetividade. A leitura compartilhada de bibliografia comum confere sustentação aos trabalhos do Grupo como um todo. Devido à complexidade das inter-relações propostas em cada linha de pesquisa, privilegia-se a abordagem qualitativa em investigações empíricas ancoradas em densa fundamentação teórica de caráter multi e transdisciplinar. Os procedimentos metodológicos incluem pesquisa bibliográfica, documental, iconográfica e de campo, com elementos de etnografia virtual, netnografia, monitoramento e análise de produções midiáticas em diferentes suportes, entrevistas com especialistas, dentre outros procedimentos demandados por cada projeto desenvolvido pelos integrantes do Grupo.

Dentre as atividades promovidas pelo Grupo, destacam-se a organização do GT-6: Comunicação, Consumo e Subjetividade no COMUNICON (Congresso Comunicação e Consumo); Mesas Redondas, Oficinas, palestras e mini cursos em nível de extensão e aprimoramento.

Ementa

Tendo em vista a centralidade dos processos de comunicação e das práticas de consumo na atualidade, entendemos que o estudo das articulações comunicação-consumo como vetores de produção de subjetividades constitui um núcleo temático de grande relevância nos debates acadêmicos sobre o contemporâneo. Este Grupo se pretende um interlocutor qualificado e consistente deste debate, em âmbito nacional e internacional.

Em linhas gerais, problematizamos a) o coaching midiático dos modos de ser e de viver em nossos dias; b) a promoção de estilos de vida ancorados em determinados padrões de consumo; c) a constituição da terceira idade como segmento de consumo; d) a consolidação da juventude como valor a ser exibido em qualquer idade; e f) os modos de endereçamento de práticas comunicacionais e de consumo voltadas para o público mais velho, dentre outros temas.

Interessa-nos pensar criticamente: a) os modos de endereçamento dos discursos midiáticos; b) a relação entre entretenimento, tecnologias e digitalização da cultura; c) as estratégias de convocação do consumidor conectado às redes digitais de comunicação, sociabilidade e negócios; d) os usos comerciais do conteúdo gerado pelos usuários em sites e serviços de rede social na internet; e) a tematização do envelhecimento e as representações sociais dos mais velhos em circulação nas narrativas midiáticas, no cinema e na publicidade.

Ao privilegiar as articulações comunicação-consumo em suas dimensões simbólicas e materiais, os estudos realizados no âmbito deste Grupo de Pesquisa pretendem contribuir para adensar nossa compreensão dos modos de ser e de viver em nossos dias.

Objetivos

Filiado à linha “Estratégias de comunicação e produção de mensagens midiáticas voltadas às práticas de consumo” do PPGCOM ESPM, este Grupo de Pesquisa tem como objetivo investigar as interconexões comunicação-consumo sob o viés da produção de subjetividades. Parte-se de uma concepção ampla da Comunicação, tomando-a em sua dimensão de vínculo social. Considera-se, neste recorte, a centralidade das lógicas de consumo e a complexa estrutura midiática no contemporâneo. Com base nesses pressupostos o Grupo tem como objetivo refletir sobre os modos de ser e de viver promovidos pelas diversas instâncias de produção midiática atuais, incluindo o novíssimo campo das redes de comunicação, sociabilidade e negócios, as chamadas redes sociais digitais, estudadas por meio dos seus modos de endereçamento (Ellsworth, 2001) e das estratégias midiáticas que abrigam e ajudam a difundir. Pretende-se constituir um arcabouço teórico-metodológico que contribua para fundamentar e qualificar os debates no campo sobre estas temáticas tão centrais na atualidade.
Dentre os objetivos está a nucleação no GT6 – Comunicação, Consumo e Subjetividade do COMUNICON (Congresso Internacional Comunicação e Consumo) das pesquisas relacionadas com as temáticas do Grupo que estejam em desenvolvimento em outras IES. Destaca-se a articulação dos trabalhos deste Grupo em redes nacionais e internacionais de pesquisadores, tais como a Rede Obitel, Ibercom, SLAS (Society for Latin American Studies, UK), dentre outras, para fins de intercâmbio e qualificação de nossos trabalhos e dos pesquisadores membros.
Para dar conta destes objetivos, o Grupo está estruturado em duas linhas de pesquisa, sendo 1) Comunicação, Consumo e Envelhecimento, e 2) Sociabilidade e Consumo na Cultura Digital.

Linhas de pesquisa

Linha 1: Comunicação, Consumo, Envelhecimento e Longevidade

Com o envelhecimento populacional mundial, a questão da velhice figura no centro do debate social. Com base nas articulações comunicação-consumo, esta Linha estuda a construção sociocultural da velhice, enfocada para além de seu aspecto etário. No campo da Comunicação, pouca atenção tem sido devotada ao estudo das representações sociais do envelhecimento e aos modos de comparecimento desta temática nas produções midiáticas contemporâneas. O estudo da constituição social dos modos de ser e de atribuir sentido às diferentes etapas do ciclo da vida adquire especial significação quando a terceira idade se transforma em segmento de consumo. Sendo assim, esta linha investiga as interações estabelecidas entre as culturas midiática e de consumo, sob o ponto de vista dos sentidos produzidos e em circulação acerca dos processos e dinâmicas atrelados aos valores e discursos sobre o envelhecimento. Afastando-se de uma compreensão da velhice como patamar etário, considera-se o processo de envelhecimento em seus múltiplos e diversificados atravessamentos socioculturais tais como gênero, classe socioeconômica, etnia, perfis psicossociais e de saúde, regionalidades, religiosidades, tecnicidades, filiações ético-estéticas, padrões culturais e de consumo, dentre outros.

Desse modo, o grupo se propõe a pensar a constituição de estilos de vida e modelos identitários oferecidos como exemplares em diferentes tipos de narrativas midiáticas, examinadas em suas características complexas, plurais e por vezes paradoxais. Problematizam-se a constituição da juventude como valor emblemático da atualidade; o imperativo social da aparência juvenil e o ideário ageless nos discursos anti-idade em circulação; as representações sociais do envelhecimento acionadas pela indústria do entretenimento; a função social das celebridades e das mini celebridades como figuras de mediação das contradições do contemporâneo; a convocação do idoso como consumidor conectado, dentre outros temas de interesse.

Linha 2: Sociabilidade, Comunicação e Consumo na Cultura Digital

Esta linha investiga as novas formas de acoplamento e hibridização humano-tecnológicos e a grande penetração das redes digitais de comunicação, sociabilidade e negócios e seus modos de endereçamento nos processos de subjetivação e das dinâmicas sociais atuais.  Os estudos desenvolvidos pelos pesquisadores que integram esta Linha se debruçam sobre as as apropriações mercadológicas das interações online; as associações entre as dinâmicas de entretenimento e as lógicas de consumo; as estratégias de convocação do consumidor conectado.

Ao colocar em discussão o senso comum acerca do suposto ‘empoderamento’ do consumidor conectado, os pesquisadores desta linha problematizam o determinismo tecnológico e o caráter dito espontâneo da produção de conteúdo em plataformas digitais, chamando a atenção para a crescente mercadorização das interações nas mais diversas esferas sociais. Desse modo, as estratégias de segmentação e as lógicas de consumo em ação nos bastidores das redes digitais; as transformações nos regimes de atenção; a mobilização afetiva como estratégia de negócios;  a mediação cultural dos fãs, amigos, seguidores e novos especialistas online; o consumo de experiências e a monetização das experiências de consumo narradas nas chamadas mídias sociais; a gamificação do cotidiano e a curadoria algorítmica da vida cultural estão entre os temas de interesse de seus integrantes.

Equipe

Coordenadora

Gisela Grangeiro da Silva Castro

Participantes

Colaboradores Externos

Internacionais

  • Mike Featherstone (Professor, Sociology Department – Goldsmiths College, University of London)
  • Clea Bourne (Lecturer, Media and Communication Department – Goldsmiths College, University of London)
  • Virpi Yläne (Senior Lecturer, School of English, Communication & Philosophy – Cardiff University)

Nacionais

  • Guita Grin Debert (UNICAMP)
  • Fátima Régis de Oliveira (UERJ)

Contato

  • castro.gisela@gmail.com

 

Produção

 

Realizações

  • 5º Simpósio Internacional, no COMUNICON 2016, coordenado pela Dra. Gisela G. S. Castro, com o tema “Comunicação, consumo e modos de envelhecimento no contemporâneo”. O evento contou com importantes nomes em sua programação, entre os quais destacam-se: Pat Thane (King’s College Londres); a Dra. Guita Grin Debert (UNICAMP); a Dra. Ligia Py (UFRJ e Fiocruz)a Py ; a Dra. Virpi Ylänne (Cardiff University, Reino Unido); a Dra. Beltrina Côrte (PUC-SP) e a Dra. Cristina Amendoeira (SBPRJ e IPUB-UFRJ).
  • COMUNICON 2016 – 6º Encontro de Grupos de Trabalho de Pós-Graduação – GT 06 Comunicação, Consumo e Subjetividade. Realizado nos dias 14 e 15 de outubro, com organização do GRUSCCO, sob a coordenação da Dra. Gisela G. S. Castro, este GT congregou reflexões e fomentou discussões acerca do papel da comunicação na promoção de modulações pelas lógicas de consumo nos modos de ser e de estar junto, interessando analisar as práticas de comunicação e consumo em sua articulação com: a) transformações perceptivas, cognitivas e/ou afetivas em ambientes supersaturados de mensagens comerciais; b) as dinâmicas do entretenimento, as estratégias midiáticas e mercadológicas no fomento a modos de ser e de viver; c) a mercadorização do cotidiano, o consumo da experiência e a experiência do consumo; d) afetividade, sociabilidade e subjetividade nas redes sociais digitais; e) estereótipos, preconceitos e modelos sociais alternativos na cena midiática; e f) as imagens do envelhecimento e seus discursos; entre outras questões relevantes.
  • Reunião de Trabalho com a Dra. Virpi Ylänne (Cardiff University)realizada em 12/10/2016,  no qual foram discutidos aspectos metodológicos da pesquisa sobre imagens do envelhecimento na propaganda no Reino Unido. Este encontro marcou o início do intercâmbio do GRUSCCO com a Dra Ylänne, visando o futuro estabelecimento de projeto de pesquisa conjunto.
  • Outra atividade importante do Grupo durante esse ano foi o desenvolvimento do projeto coletivo “Os Velhos na Propaganda, 25 anos depois”, que teve como primeiro resultado parcial o video teaser de mesmo nome. O video foi produzido pelo GRUSCCO com o apoio do CAEPM (Centro de Altos Estudos ESPM) e lançado durante o COMUNICON. Hoje está abrigado no site do Grupo e no Memorial do Consumo. Conheça mais detalhes no item Projetos em Andamento.
  • “A exposição de si nas redes sociais digitais: uma reflexão relevante”, com Rodrigo Njem, (doutor em Psicologia Social pela UFBA e pós doutorando do GITS – Grupo de Pesquisa em Interações, Tecnologias Digitais e Sociedade, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da UFBA). Este encontro de trabalho, ocorrido em 02/12/2016, marcou o início da aproximação acadêmica entre o GRUSCCO e o GITS. Esta parceria deverá se consolidar ao longo dos próximos anos com a futura realização de atividades conjuntas, participações em Bancas, eventos e publicações.
  • Defesa Doutorado: Vicente Martin Mastrocola – Wearable technologies: comunicação e consumo no contexto de possíveis reconfigurações humano-tecnológicas. Tese (Doutorado em Comunicação e Práticas de Consumo). Orientação: Profa. Dra. Gisela G S Castro. Banca Examinadora: Profas. Dras. Luiza A. Paraguai Donati (PUC-Campinas), Suely Dadalti Fragoso (UFRGS), Tania Hoff (ESPM) e Prof. Dr. João A. Carrascoza (ESPM). Março/2017.
  • Defesa Mestrado: Kareen Regina Terenzzo – Comunicação, consumo e envelhecimento prêt-à-porter: Jane Fonda e o ideal de envelhecimento bem-sucedido. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo). Orientação: Profa. Dra. Gisela G S Castro. Banca Examinadora: Profas. Dras. Ana Lucia Enne (UFF) e Eliza Bachega Casadei (ESPM). Março/2017.
  • Defesa Mestrado: Rafael José Oliveira Ofemann – Cultura participativa na cibercinefilia: produção e consumo cinéfilo na internet. Orientação: Profa. Dra. Gisela G S Castro. Banca Examinadora: Profa. Dra. Sheila Schwarzman (UAM) e Prof. Dr. Vander Casaqui (ESPM). Maio/2017.
  • Exame de Qualificação (Doutorado em Comunicação e Práticas de Consumo) – Beatriz Braga Bezerra – O potencial pedagógico da publicidade em conteúdos de marca na internet (título provisório). Orientação: Profa. Dra. Gisela G. S. Castro. Banca Examinadora: Profs. Drs. Rogério Covalesky (UFPE) e João Anzanello Carrascoza (ESPM). Agosto/2017.
  • Exame de Qualificação (Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo) – Luciana da Silva Correa – Ele é meu amigo: uma discussão sobre o consumo de smartphones e sua apropriação por mulheres idosas (título provisório). Orientação: Profa. Dra. Gisela G S Castro. Banca Examinadora: Profa. Dra. Maria Aparecida Baccega (ESPM) e Prof. Dr. José Carlos S. Ribeiro (UFBA).
  • Publicações:
  • BEZERRA, Beatriz B.; BIEGING, Patricia; BUSCARELLO, Raul I. (Orgs). Cultura imagética e consumo midiático. São Paulo: Pimenta Cultural, 2017.
  • BEZERRA, Beatriz B. Viver é a Melhor Conexão: cultura do consumo e tecnologia no universo 24/7. IN: BEZERRA, B. B; BIEGING, P.; BUSARELLO, R. I. (Orgs.). Cultura imagética e consumo midiático. São Paulo: Pimenta Cultural, 2017.
  • BEZERRA, Beatriz Braga. Sociedade de consumo e o universo 24/7. Resenha publicada em MATRIZes. São Paulo: USP, 2017. v.11, jan/abr, pp.213-216.
  • CASTRO, Gisela G. S. Precisamos discutir sobre o idadismo. Revista Mais 60: estudos sobre o envelhecimento. São Paulo: Sesc, vol. 28, n. 67, maio, 2017, p. 38- 55.
  •  Participação em Eventos:
    BEZERRA, Beatriz Braga; SILVA, Marcella Rodrigues da.  Futebol-Arte: a paixão pelo esporte como estratégia publicitária. Trabalho apresentado no GP Publicidade e Propaganda do 40º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Intercom 2017 (Curitiba), setembro/2017.
  • BEZERRA, Beatriz Braga; CASTRO, Gisela G. S. Merchandising social na telenovela brasileira: conscientização e sustentabilidade em Velho Chico. Trabalho apresentado no VIII Pró-Pesq PP – Encontro de Pesquisadores em Publicidade e Propaganda (Recife), maio/2017.
  • CASTRO, Gisela G S. Imagens do envelhecimento em transição na publicidade brasileira – apresentação de resultados do projeto coletivo “Os velhos na propaganda: 25 anos depois” em palestra na Mesa Redonda “Gênero, diversidade e representatividade nos discursos publicitários”, como convidada do VIII Pró-Pesq PP – Encontro Nacional de Pesquisadores em Publicidade e Propaganda (Recife), em maio/2017.
  • CASTRO, Gisela G S e ROCHA, Juliana Acquarone. Cosmética pró-idade: astúcias das retóricas do consumo em tempos de longevidade. Trabalho apresentado no GT Comunicação e Sociabilidade, XXVI Encontro Anual da Compós (São Paulo), em junho/2017.
  • CASTRO, Gisela G. S. e CORREA, Luciana S. Grisalhos Digitais: Reflexões Sobre o Consumo de Smartphones por Pessoas Idosas. Trabalho apresentado no GP Comunicação e Cultura Digital do 40º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Intercom 2017 (Curitiba), setembro/2017.
  • CASTRO, Gisela G. S. Velho é o seu preconceito: novas caras da velhice na publicidade brasileira atual. Apresentação de resultados do projeto coletivo “Os velhos na propaganda: 25 anos depois” no XV Congresso Internacional Ibercom (Lisboa), novembro/2017.
  • CORREA, Luciana S. O que a ONU e Hollywood têm em comum?: uma análise da narrativa de envelhecimento ativo no filme Um Senhor Estagiário. Trabalho apresentado ao GT 1 – Processos e produtos midiáticos do XI Encontro de Pesquisadores em Comunicação e Cultura, realizado pelo PPG em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba (Uniso), nos dias 25 e 26 de setembro de 2017.
  • CORREA, Luciana S. Vovloggers: uma reflexão sobre as práticas de consumo de smartphones por senhoras idosas e sua representação na propaganda brasileira. Trabalho apresentado ao GT 06 – Comunicação, Consumo e Tendências do 2º. CONEC: Congresso Nacional de Estudos Comunicacionais da PUC-Minas, Poços de Caldas, em 30 e 31 de outubro de 2017.
  • TERENZZO, Kareen R. Jane Fonda e o envelhecimento prêt-à-porter. Trabalho apresentado na DTI 5 – Comunicação e Identidades Culturais do XV Congresso Internacional Ibercom (Lisboa), novembro/2017.
  • Organização do Livro do Comunicon 2016, envolvendo a elaboração de projeto editorial, tradução e edição de textos de convidadas nacionais e internacionais (em andamento).
  • Fechamento do Projeto coletivo “Os Velhos na Propaganda, 25 anos depois”, com produção de projeto editorial para ebook e documentário de média-metragem (em andamento).

Biblioteca

BACCEGA, Maria Aparecida. “Inter-relações comunicação e consumo na trama cultural: o papel do sujeito ativo”. In: CASTRO, Gisela G. S. e TONDATO. Marcia P. (Orgs.). Caleidoscópio midiático: o consumo pelo prisma da comunicação. São Paulo: ESPM/RS Press, 2009, p. 12 – 30.

BEAUVOIR, Simone. A velhice: a realidade incômoda. São Paulo: Difel, 1976.

BOYD, Danah. It’s complicated: the social lives of networked teens. Boston: Yale University Press, 2015.

CASTELLS, Manuel. Communication power. Oxford: Oxford University Press, 2009.

CLARKE, Laura Hurd. Facing age: women growing older in anti-aging culture. Plymouth, UK: Rowman & Littlefield, 2011.

CRARY, Jonathan. 24/7 – Late capitalism and the ends of sleep. Londres e Nova York: Verso, 2013.

DEBERT, Guita Grin. A reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: Edusp, 1999.

DELEUZE, Gilles. “Post Scriptum sobre a sociedade de controle”. In: Conversações: 1972 –1990. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

ELLSWORTH, Elizabeth. ‘Modos de endereçamento: uma coisa de cinema; uma coisa de educação também’. In: SILVA, Tomás T. (Org.). Nunca fomos humanos: nos rastros do sujeito. Belo Horizonte: Autêntica, 2001, p. 07 – 76.

FEATHERSTONE, Mike; WERNICK, Andrew (Eds.). Images of aging: cultural representations of later life. London e N. York: Routledge, 1995.

FERRAZ, Maria Cristina F. Ruminações: cultura letrada e dispersão hiperconectada. Rio de Janeiro: Garamond, 2015.

FREIRE FILHO, João. (Org.). Ser feliz hoje: reflexões sobre o imperativo da felicidade. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2010.

GOLDENBERG, Miriam. A bela velhice. Rio de Janeiro e S. Paulo: Record, 2013.

GUATTARI, Felix. As três ecologias. Rio de Janeiro: Papirus, 2005.

GUILLEARD, Christopher e HIGGS, Paul. Cultures of ageing: self, citizen and the body. London: Pearson, 2000.

ILLOUZ, Eva. Amor nos tempos do capitalismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2011.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos. Rio de Janeiro: Ed. 34, 2009.

LAZZARATO, Maurizio. Signos, máquinas, subjetividades. S. Paulo: Ed. Sesc SP, N-1 Edições, 2014.

LINS DE BARROS, Myriam M. (Org.). Velhice ou terceira idade? Estudos antropológicos sobre identidade, memória e política. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006.

NERI, Anita L. (Org.). Idosos no Brasil: vivências, desafios e expectativas na terceira idade. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, Ed. Sesc SP, 2007.

PRIMO, Alex. “Industrialização da amizade e a economia do curtir: estratégias de monetização em sites de redes sociais”. In: Lídia Oliveira; Vania Baldi. (Org.). A insustentável leveza da web: retóricas, dissonâncias e práticas na sociedade em rede. Salvador: EDUFBA, 2014, p. 109-130.

PRIMO, Alex. Interações em rede. Porto Alegre: Sulina, 2013.

ROLNIK, Suely. “Toxicômanos de identidade. Subjetividade em tempo de globalização”. In: Daniel Lins. (Org.). Cultura e subjetividade. Saberes Nômades. Campinas: Papirus, 1997; p.19-24.

MILLER, Paul e ROSE, Nikolas. Governando o presente. S. Paulo: Paulus, 2012.

SASSATELLI, Roberta. Consumer culture: history, theory and politics. London: Sage, 2007.

SERRES, Michel. Polegarzinha: uma nova forma de viver em harmonia, de pensar as instituições, de ser e de saber. S. Paulo: Bertrand Brasil, 2013.

SHIELDS, Rob. (ed.). Lifestyle shopping: the subject of consumption. London: Routledge, 1992.

SIBILIA, Paula. Redes ou paredes: a escola em tempos de dispersão. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

SILVA, Tomás T. (Org.) Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

SILVERSTONE, Roger. Por que estudar a mídia? São Paulo: Loyola, 2002.

SODRÉ, Muniz. A ciência do comum: notas para o método comunicacional. Petrópolis: Vozes, 2014.

TURKLE, S. Alone together: why we expect more from technology and less from each other. N. York: Basic Books, 2012.

YLÄNE, Virpi. Representations of ageing in the media. In: TWIGG, J.; MARTIN, W. (Eds.). The Routledge Handbook of Cultural Gerontology. London: Routledge, 2015.

 

Calendário

Encontros Mensais do GRUSCCO em 2017/2 (sempre às terças-feiras, das 14 às 17h30, na sala B207 do Campus AA)

22/agosto

19/setembro

24/outubro

28/novembro

ImgReuniaoGruscco-p

 

 

 

 

 

 

 

 


Registro da reunião do GRUSCCO em 24 / outubro / 2017

Algumas leituras do semestre

APPLEWHITE, A. This chair rocks: a manifesto against ageism. Networked Books, 2016.

DANTAS, Silvia G. O envelhecimento na tela: o discurso da velhice ativa em programas de TV e documentários. Novos Olhares: Revista de Estudos Sobre Práticas de Recepção a Produtos Midiáticos. Vol. 6, n. 1, S. Paulo: USP, 2017, p. 101-114.

DAVIES, William. The happiness industry: how the government and big business sold us well-being. London, New York: Verso, 2016.

EGGERS, D. The circle. Toronto, S. Francisco: Knopf, Random House, 2013.

HARRINGTON, C. L.; BIELBY, D. D.; BARDO, A. R. (Eds). Aging, media and culture. London, Lexington Books, 2014.

JOOST, M. A long time coming: essays on old age. London, Scribe, 2016.

PAPACHARISSI, Z. (Ed.). A networked self: identity, community and culture on social network sites. N. York, London: Routledge, 2011.

PICKARD, S. Age studies: a sociologial examination of how we age and are aged through the life course. London: Sage, 2016.

RETTBERG, J. W. Seeing ourselves through technology: how we use selfies, blogs and wearable devices to see and share ourselves. N. York: Palgrave Macmillan, 2014.

WU, T. Attention merchants: the epic scramble to get inside our heads. N. York: Knopf, 2016.

 

Projetos em andamento

Livro COMUNICON Comunicação, Consumo e Modos de Envelhecimento no Contemporâneo” (Org. Gisela G S Castro e Tania M. C. Hoff), a ser publicado na Coleção Comunicação e Consumo (Ed. Sulinas), reunindo textos apresentados no 5º Simpósio Internacional do COMUNICON 2016 além de artigo inédito sobre este tema cedido por Mike Featherstone para esta publicação, bem como o texto de García Canclini para a Conferência Magna do Congresso, traduzidos e editados para este volume. Como de costume, o livro também apresenta os artigos vencedores do Prêmio Comunicon 2016.

E-book – Resultado da Pesquisa “Os velhos na propaganda: 25 anos depois”. Coletânea de textos produzidos pelos integrantes do GRUSCCO como resultados do projeto coletivo de pesquisa desenvolvido pelo Grupo desde o ano passado.

Documentário – Resultado da Pesquisa “Os velhos na Propaganda: 25 anos depois”, montagem de documentário (DVD, em torno de 12 minutos de duração) apresentando resultados do projeto coletivo de pesquisa desenvolvido pelo GRUSCCO no período (2016/2017).

 

Projeto Coletivo – 2016 – Os Velhos na Propaganda: 25 anos depois

Os velhos na propaganda: 25 anos depois é um projeto coletivo de investigação sobre o tratamento conferido às imagens dos mais velhos na linguagem audiovisual publicitária atual. A pesquisa congrega os diversos integrantes do Grupo de CNPq Pesquisa em Subjetividade, Comunicação e Cultura (GRUSCCO), coordenado pela Profa. Dra. Gisela G S Castro no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas de Consumo (PPGCOM) da ESPM, São Paulo. O título do projeto refere-se ao vídeo Os velhos na propaganda, produzido na década de 1990 em projeto coordenado por Guita Grin Debert no Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Unicamp. Por sugestão da veterana pesquisadora paulista, que gentilmente emprestou ao GRUSCCO sua única cópia em digital do VHS original, abraçamos a incumbência de atualizar este importante debate ao examinar as formas de apresentação dos adultos mais velhos na produção publicitária brasileira da última década.

Na primeira etapa da pesquisa, foi feito um levantamento exploratório dos anúncios memoráveis com idosos para, em seguida, refinarmos a seleção considerando seus modos de representação em cada segmento comercial. Um teaser audiovisual foi produzido para apresentar nosso projeto no 6º Congresso Internacional em Comunicação e Consumo – COMUNICON, abrindo os trabalhos do 5º Simpósio Internacional coordenado pela Profa Gisela G S Castro. Em outubro de 2016, este evento reuniu estudiosos nacionais e internacionais em duas mesas multidisciplinares sobre os modos de envelhecimento no contemporâneo.

Para o ano de 2017, o GRUSCCO irá produzir um documentário sobre esse corpus de investigação e também uma publicação textual reunindo trabalhos dos integrantes elaborados ao longo da pesquisa.

Grupo de Estudos – Atividade Conjunta GRUSCCO / GPECC (Grupo de Pesquisa em Ética, Comunicação e Consumo, coordenado pelo Prof. Luiz Peres Neto no PPGCOM ESPM) para discussão conjunta em 2017/1 do livro:

  • WU, Tim.Attention merchants: the epic scramble to get inside our heads (Knopf, 2016).

Síntese:

Tim Wu, norte-americano e professor da Columbia Law School, escreve sobre temas ligados ao poder privado, liberdade de expressão e neutralidade da rede. Na obra The attention merchants, o autor propõe uma reflexão bastante pertinente em relação à acirrada disputa pela atenção dos consumidores nos meios de comunicação. Para ele, a indústria da atenção emergiu no século XIX, quando surgiram em New York[GC1]  os primeiros jornais totalmente dependentes da publicidade, inaugurando um modelo comercial destinado a apreender e cativar a atenção dos leitores. Desde então, a atenção se tornou um recurso amplamente disputado pelo mercado. Tim Wu nos convida a pensar esta questão por um viés histórico, apresentando diversos estudos de casos que nos auxiliam a entender como a indústria foi se moldando ao longo do tempo, a fim de atrair a atenção frente aos avanços tecnológicos como o rádio, a televisão e internet. Salienta a engenhosidade e a capacidade de adaptação dessa indústria especialmente pautada pela publicidade, para criar novos caminhos e canais de comunicação sobre marcas e produtos, com o intuito de diminuir a resistência dos públicos e ao mesmo tempo conquistar sua atenção.

 

Continuação do Grupo de Estudos integrado pelos participantes do GRUSCCO e do GPECC em 2017/2 para discussão conjunta do livro:

  • DAVIES, William. The happiness industry:how the government and big business sold us well-being (Verso, 2016).

Síntese:

William Davies leciona no Departamento de Política e Relações Internacionais do Goldsmiths College, University of London. Em The hapiness industry, o autor expressa sua preocupação com a intensa promoção do “bem-estar” no mundo contemporâneo em vertentes diversas como o marketing, a saúde e as tecnologias “inteligentes”. A obra reúne argumentos advindos de áreas do conhecimento distintas para descrever como se transformou a felicidade em um bem tangível, mensurável e passível de ser monitorado, e gerido de várias formas. Algumas das principais ideias discutidas nesse livro podem ser englobadas nas seguintes rubricas: economia, consumo, controle, internet, lucro, marketing, psicologia, publicidade, trabalho e, é claro, felicidade. Conforme argumenta Davies, múltiplas forças operam na consolidação da poderosa “indústria da felicidade”. O autor sublinha a ênfase dessa indústria com o espectro quantitativo, utilitarista e ferramental da felicidade na lógica da competição capitalista e propõe que sejamos críticos diante de tal abordagem.

 

Calendário e Distribuição de Leituras do Grupo de Estudos (terças-feira, 14h às 16h):

12/setembro (Caps. 1, 2 e 3);

17/outubro (Caps. 4, 5 e 6);

14/novembro (Caps. 7 e 8 – discussão final).

 

Defesas do GRUSCCO Março/2017: 

Doutorado:

Vicente Martin Mastrocola – Wearable technologies: comunicação e consumo no contexto de possíveis reconfigurações humano-tecnológicas. 30 de março de 2017. Banca Examinadora composta por Gisela G S Castro (Orientadora), João Anzanello Carrascoza (ESPM), Tania Hoff (ESPM), Luisa Paraguai Donati (PUC-Campinas), Suely Dadalti Fragoso (UFRGS).

Mestrado:

Kareen Terenzzo – Comunicação, consumo e envelhecimento prêt-à-porter. Jane Fonda e o ideal do envelhecimento bem-sucedido. 23 de março de 2017. Banca Examinadora composta por Gisela G S Castro (Orientadora), Eliza Bachega Casadei (ESPM) e Ana Lucia Enne (UFF).

 

Defesas do GRUSCCO Maio/2017: 

Mestrado:

Rafael José Oliveira Ofemann: “Cultura participativa na cibercinefilia: produção e consumo cinéfilo na internet”. Banca composta por Gisela Castro (orientadora), Vander Casaqui (ESPM) e Sheila Schwarzman (UAM).

 

Exames de Qualificação de integrantes do GRUSCCO em agosto/2017:

Doutorado:

Beatriz Braga Bezerra: O potencial pedagógico da publicidade em conteúdos e marca na internet (título provisório). Banca composta por Gisela Castro (orientadora), João Anzanello Carrascoza (ESPM) e Rogério Covalesky (UFPE).

Mestrado:

Luciana da Silva Correa: “Ele é meu amigo”: uma discussão sobre o consumo de smartphones e sua apropriação por mulheres idosas na cidade de S. Paulo (título provisório). Banca composta por Gisela Castro (orientadora), Maria Aparecida Baccega (ESPM) e José Carlos Rodrigues (UFBA).